O boom da indústria de serviços

Nas décadas de 80 e 90 ocorreu também um enorme crescimento na indústria de serviços. Uma das ramificações deste crescimento, o desenvolvimento de uma cultura de serviço nas organizações, teve impacto direto na indústria de gerenciamento de propriedades por meio do chamado Facilities Management como disciplina profissional. O crescimento rápido de contratações de serviços non-core e a importância de gerenciamento dos ativos imobiliários da empresa somente reforçou a importância estratégica deste setor dentro das empresas (MCGREGOR, 2007). Um dos grandes marcos deste crescimento ocorreu no Reino Unido em 1991, quando a IBM terceirizou as suas operações de Facilities Management (antes executadas in house), como uma das ações para reduzir seu orçamento de operações em 30%.  Nesta movimentação, mais de 90 funcionários da IBM compraram a divisão de Facilites Management da IBM, criando assim a Procord, que em 1994 seria adquirida pela Johnson Controls. Esta ação seria um desbravador para os provedores de serviços de Facilities Management, quando poucas empresas forneciam pacotes de serviços. Era uma das primeiras vezes, fora da área de tecnologia da informação (TI), que o termo Facilities Management estava sendo utilizado para serviços de suporte de gerenciamento de ativos e instalações.5 O crescimento da indústria de Facilities Management no Reino Unido ocorreu em conjunto com outras empresas de outsourcing, quando grandes prestadores de serviços apareceram. As três maiores empresas do mercado de Facilities Management eram a Serco (fundada em 1987 com 8.000 funcionários), Drake and Scull (fundada em 1987 com 3.000 funcionários) e BET FM (fundada em 1989 com 300 funcionários). Em 1992, por exemplo, a Drake and Scull começou a prestar serviços de suporte para a British Petroleum (BP) e para a British Airways. Outras empresas de engenharia, limpeza e serviços de refeições se uniram no intuito de oferecem um pacote mais vasto de serviços. Seguindo o mesmo caminho, empresas na área de construção, afetadas pela recessão dos anos 90, criaram subsidiarias prestadoras de serviço de Facilites Management (PRICE, 2003). Essa era foi de grandes mudanças, com diversas organizações terceirizando serviços para fornecedores especializados. Novas leis que afetavam empregados, práticas de trabalho e contratados foram criadas. Projetos de larga escala ligados a serviços operacionais em esquemas de “Iniciativas Financeiras Privadas” levantaram a importância do Facilites Management entre uma ampla população de usuários e clientes (WIGGINS, 2014).

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on linkedin
Compartilhar no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhar no Pinterest

Deixe um comentário

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para se inscrever em nossas newsletters mensais!

Sou Edison Sanromã profissional da área de Facilities, já atuai como gestor de facilities em empresas como Shell, Vale e Rio 2016 e atualmente além do trabalho de consultoria, coordenador do MBA em Facilities aqui no Rio de Janeiro e sou responsável por cursos de extensão e palestras sobre o tema.